A vida de um bruxo não é diferente da de qualquer outro indivíduo. Falo por mim. Fora a minha actividade profissional, faço o que qualquer outro indivíduo faz. Sou casado, tenho um filho, gosto muito de cozinhar, adoro passear de moto (visto que ainda não é possível andar de vassoura!), nutro um grande carinho pelos animais e, tal como as outras pessoas, também tenho os meus receios. O que me distingue dos demais é somente a minha profissão.

‘Ser bruxo ' é algo que nasceu comigo, foi certamente transmitido pelos genes. Começou com a minha bisavó e, da minha mãe, passou para mim. Infelizmente, ambas já não estão entre nós, o que para mim é uma grande dor, especialmente em relação à minha bisavó. A minha mãe era uma excelente pessoa e tinha um coração do tamanho do mundo. Tínhamos uma relação muito aberta e de grande companheirismo. E foi por ela que decidi seguir esta profissão. Porque não basta ter nascido para isto; é necessária uma grande dose de coragem para se admitir o que se faz, porque, nos dias de hoje, esta profissão está muito banalizada e mal vista.

No entanto, existem pessoas que conhecem o meu trabalho e sabem do que falo. Algumas destas pessoas permitiram que fossem publicados muitos dos depoimentos contidos nesta obra. Obviamente, os nomes reais foram modificados.

As minhas consultas são feitas com base em leituras de Tarot. Após analisar as cartas, vejo a origem do problema e proponho uma solução adequada.

Costumo usar dois métodos de tratamento, dependendo muito do caso e do estado do paciente. Um dos métodos é o tratamento espiritual, em que sou auxiliado pelos meus guias espirituais, um dos quais é São Cipriano. Uma vez que sou discípulo de São Cipriano, recorro a conhecimentos que ele empregou há milhares de anos atrás. Na verdade, e em concreto, trabalho com plantas, orações, velas, rituais, amuletos e produtos do género.

A regressão, que é o outro método a que recorro para curar os pacientes, consiste em colocar a pessoa num estado hipnótico e, através dele, fazê-la recordar-se de vivências anteriores, desta e de outras vidas. No fundo, é como uma viagem no tempo, em que se pode recordar tudo o que se viveu com tal precisão que parece que se vive tudo novamente. Este método de tratamento pode levar a ultrapassar estados traumáticos, na medida em que uma pessoa pode anular os seus medos ao deles tomar consciência. Os nossos traumas estão todos no nosso subconsciente, mas encontram-se recalcados (não estão acessíveis conscientemente). Por isso se torna importante o auxílio da regressão. Mas para que compreendam melhor o que quero dizer, nada melhor do que a leitura dos capítulos que se seguem, onde são apresentados relatos daquilo que se passou com alguns dos meus pacientes.

 

 
 
 

Número de Vísitas: